Um novo cenário Comercial

Mudanças no mercado

No campo econômico, é um fato que a crise financeira que assola o País impulsionou o fechamento de diversas empresas, ocasionou a demissão em massa de um número considerado de trabalhadores e achatou ainda mais a folga lucrativa das empresas restantes, que para sobreviver tiveram de buscar alternativas para enxugar o orçamento e solucionar o déficit de receitas.

Infelizmente, é uma realidade que dentre as “alternativas” encontradas, muitas empresas se viram forçadas a encerrar os contratos com escritórios ou não se viram capazes de continuar honrando o pagamento, tornando-se inadimplentes, tendo em vista que o setor jurídico ainda é visto como um serviço acessório, complexo, burocrático, custoso e pouco rentável na visão de muitos empresários, não havendo sentindo manter em pleno funcionamento diante da crise em prol de outros setores tidos como essenciais.

A partir do momento que diversas empresas são encerradas e há uma resistência orçamentária das sobreviventes para aceitação do serviço jurídico por não poder honrar os futuros contratos, a advocacia tributária, onde sua maioria é formada por contratos com pessoas jurídicas, começa a entrar em crise no campo nacional.

No campo regional, está havendo um “malabarismo empresarial” no tocante a localização dos estabelecimentos, os mesmos estão alterando seus endereços para outros Estados que possuem benefícios fiscais mais vantajosos, acentuando a guerra fiscal e prejudicando a economia local como um todo.